http://www.blogger.com/start
 

TECMATRÔNICA®

nosso propósito é inteiramente didático free hit counter
 
Relógio

Look! (visitem!)TECMATRÔNICA INFORMÁTICA

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Como instalar o Windows 7 em um netbook a partir de um pendrive



Tutorial ensina driblar a falta de um drive de DVD no computador portátil. Instalação pode levar menos de meia hora.



pendrive_windows_150Embora a maneira mais fácil de instalar o Windows 7 em um netbook seja por meio de um drive de DVD externo, não vale a pena gastar entre 250 reais e 350 reais caso não venha a usar o dispositivo frequentemente. Se você tiver um pendrive com 4 GB de espaço (um novo custa em média 60 reais), saiba que pode resolvr seu problema.
Mas a instalação do Windows 7 por meio de um pendrive não é tão simples assim, já que não é suficiente copiar o conteúdo do DVD do Windows 7 para o dispositivo USB.
Antes, deve-se criar uma partição e torná-la ativa para ser reconhecido pelo computador como um drive inicializável. Como a atualização a partir do Windows XP envolve passos mais complexos, esse tutorial descreve este procedimento. Mas ele também se aplica no caso do Vista, já que a Microsoft não irá vender a versão update do novo sistema operacional no Brasil.


Nota: Como o Windows 7 não pode ser instalado como uma atualização sobre o Windows XP, é necessário usar a opção 'Instalação personalizada', a mais completa, trabalhosa e demorada. Isto significa que todos os seus programas e os dados serão perdidos. Por esta razão, não se esqueça de fazer backup de segurança do registro do sistema, criar um ponto de restauração e fazer backup dos seus dados antes de instalar o Windows 7.  
Etapa 1: Formato da chave USB e torná-lo ativo
Um pendrive é visto como um dispositivo removível no Windows XP e, por esse motivo, o gerenciador de disco não permite particioná-lo, muito menos criar uma partição ativa. Essa opção estará desabilitada (na cor cinza), como mostra  figura abaixo. E também não vai deixar você formatar utilizando o sistema de arquivos NTFS.
tela1.jpg
Uma das maneiras mais simples de se fazer isso é utilizando o HP USB Disk Storage Format Tool, utilitário que além de formatar o dispositivo flash com o sistema de arquivos NTFS, também torna a partição ativa.
Instale o software, localize o pendrive que aparece na lista de dispositivos, altere o sistema de arquivos (File) para NTFS. Depois, selecione a “Formatação rápida” e clique em Iniciar. O processo todo vai demorar apenas alguns segundos.
tela3.jpg
Para confirmar se a formatação da unidade foi feita corretamente, clique com o botão direito do mouse em Meu Computador, clique em Gerenciar, Gerenciamento de disco. Você verá o pendrive listado com o status de “ativo”, a indicação de capacidade e o sistema de arquivos (NTFS).
tela4.jpg


Etapa 2: Crie uma área inicializável (boot)
O Windows 7 usa um programa chamado Bootmgr para carregar. A partição ativa no pendrive precisa ter o código escrito lá para que o seu setor de inicialização seja reconhecido pelo Bootmgr.
Esse código pode ser escrito no pendrive utilizando o programa bootsect.exe, que fica na pasta de inicialização do DVD do Windows 7. Para extrair esse código, temos que usar o prompt de comando - acessível a partir do menu Iniciar (selecione Executar, digite cmd e pressione Enter).
Uma vez que o prompt de comando é aberto, alterne para o drive onde está o Windows 7, digitando a letra da unidade de DVD, que normalmente é d:.
A seguir, digite a seguinte linha de comando:

boot\bootsect /nt60 j:
Em nosso exemplo, estamos dizendo para usar o comando bootsect para escrever o código de boot na unidade USB (no caso, é a unidade j: - substitua pela letra correspondente ao drive USB em seu computador)
Se a operação for bem-sucedida, você verá uma tela com a mensagem semelhante ao exemplo abaixo:
tela6.jpg


Etapa 3: Cópia do Windows 7 para o Pendrive
Agora feche a janela do prompt de comando e simplemente copie o conteúdo do DVD do windows 7 para o pendrive. Isso levará cerca de sete minutos, dependendo de seu computador e da velocidade de gravação do pendrive.
tela7.jpg
O diretório raiz do DVD do Windows 7 tem cinco pastas
e três arquivos, totalizando 2,32 GB

Etapa 4: Altere a sequência de inicializadção no netbook
Para que a instalação ocorra é preciso que o netbook dê boot utilizando o pendrive e não do disco rígido (drive C:), como é o normal. Para alterar isso, informa à BIOS do portátil que uma nova sequeência de boot deve ser adotada.
Esse procedimento varia dependendo da marca do netbook. Mas, geralmente, o acesso à BIOS se dá pressionando a tecla F2 ou DEL, ao ligar o netbook. A dica é ficar de olho na mensagem que é exibida na parte inferior da tela quando o equipamento é ligado (ela informa qual tecla deve ser pressionada para acessar à BIOS).
Uma vez na BIOS, vá ao menu de inicialização e procure a configuração "Boot Device Priority" e selecione a opção que indica o drive USB com primeiro dispositivo de boot.
tela8.jpg
Salve as alterações e saia do BIOS. Com o pendrive que tem a cópia do Windows 7 conectado a uma porta USB do netbook, o assistente de instalação será carregado. Siga os passos indicados até completar a instalação.

domingo, 25 de outubro de 2009

sábado, 24 de outubro de 2009

CIRCUITOS SENSORES

Sensores e Detectores

Detector Metais

Detector Metais


ATENÇÃO - O uso e transporte de de detectores de metais encontra-se legislado, antes de utilizar verifique o enquadramento legal da sua utilização no link seguinte -  Lei n.º121/99 -  Utilização de detectores de metais.

Detector de proximidade por carga electrostática 

Detector proximidade electrostatico
Alimentação-12V DC Consumo-0,1 A 

Detector de sinal de vídeo 

Detector sinal vídeo
Alimentação-12V DC Consumo-0,1 A
Este detector permite activa um relé com a presença de vídeo composto na entrada 
 

 Detector de Proximidade por Infra Vermelhos

Detector proximidade Infra Vermelhos 
Alimentação V Max-12V DC Consumo I max-0,1 A
 

 Detector de Nível de Liquidos

Detector de nível de liquidos
A sonda é composta por dois electrodos de pelo menos 5 Cm de largura e separados entre si por menos de 1 Cm 
Alimentação-12V DC Consumo-0,1 A
ATENÇÃO - NÃO USAR PARA DETECTAR LIQUIDOS INFLAMÁVEIS

 Alarme Congelação

Alarme de congelação
 

Alarme Porta

Este dispositico é sensível ao toque, pode ser utilizado como alarme de uma porta, como sensor de toque em qualquer outra aplicação.
alarme porta
R1-1M   1/4W Resistência
R2-3K3  1 or 2W Resistência (ver notas)
R3-10K   1/2W Trimmer Cermet (ver notas)
R4-33K   1/4W Resistência
R5-150K   1/4W Resistência
R6-2K2  1/4W Resistência
R7-22K   1/4W Resistência
R8-4K7  1/4W Resistência

C1,C2-10nF   63V Ceramico ou Polyester Condensadores
C3-10pF   63V Ceramico Condensador
C4,C6-100nF   63V Ceramic or Polyester Condensadores
C5-2΅2   25V Electrolytic Condensador
C7-100΅F   25V Electrolytic Condensador

D1,D2,D4-1N4148   75V 150mA Diodos
D3-5 - 3mm. LED vermelho

Q1,Q2,Q3,Q5-BC547   45V 100mA NPN Transistores
Q4-BC557   45V 100mA PNP Transistor

L1-   (See Notes)
L2-10mH  inductor miniatura

Sensor(gancho)- (ver notas)

BZ1-Piezo (incorpora oscilador 3KHz)

SW1,SW2-SPST  Switch Miniatura

B1-9V  PP3 Bateria

Notas - 
L1 é formada por 20 a 30 espiras de fio de cobre esmaltado diâmetro de 0.4mm enrolada na R2 e soldar as extremidades da bobina à resistência.
Deve encher o corpo R2 completamente com o enrolamento da bobina:
o número de espiras pode variar ligeiramente, dependendo dos tipos diferentes comprimento da resistência de 1W ou 2W (as dimensões médias para estes componentes são 13-18mm. comprimento e 5-6mm. diâmetro).

O sensor ao toque é feito do fio não-isolado 1-2mm de diâmetro (bronze por exemplo).
Seu comprimento pode variar entre 5 a 10cm. (nao é crítico).

Se o dispositivo for movido frequentemente para locais diferentes, o potênciometro R3 pode ser substituído por um potenciômetro linear comum com o botão exterior para um fácil ajuste.

Para configurar o dispositivo, ajuste R3 até que o diodo emissor de luz se ilumine, a seguir gire lentamente para trás a chave de fenda (ou o botão) até que o diodo emissor de luz esteja completamente desligada. Neste momento, tocando no sensor com sua mão o diodo emissor de luz ilumina-se, apagando-se quando a mão é retirada. Finalmente, com SW1 ligado o o piezo vai ligar, mas não para até que SW2 esteja desactivado.

Interruptor Controlado por Voz (VOX) 

Este circuito usa um MC2830, permitindo criar um interruptor ativado voz (VOX). Um circuito tradicional do VOX é incapaz de distinguir entre a voz e o ruído no sinal. Num ambiente ruidoso, o interruptor é provocado frequentemente pelo ruído, ou a sensibilidade da activação deve ser reduzida. Este circuito supera este problema. O interruptor é activado pelo nível da voz acima do ruído e não se activado pelo ruído de fundo. Isto consegue-se utilizando as diferenças entre a modulação da voz e do ruído. Os modulação da voz têm geralmente uma escala de variação larga em amplitude, enquanto a modulação do ruído são mais estáveise menos amplas. A sensibilidade para activação com voz depende do valor de R6. A sensibilidade da ativação da voz está reduzida de 3.0dB a 8.0dB acima do ruído se R6 mudar de 14k a 7.0k.
Detector Voz - Voice Control (VOX)

Controle de temperatura para aquário

Este circuito destina-se a manter a temperatura de um aquário dentro de uma gama ajustada por P1.
O sensor é um termistor ou NTC de 22K, que deve ficar em contacto com a água do aquário mas devidamente isolado electricamente, se a resistência já se encontra no aquário, os circuitos podem ligar externamente com excepção da NTC. O relé MC2R1 tem contactos que podem suportar 2 ampéres, verifique a potência de consumo da resistência de aquecimento, normalmente é suficiente os 2A, pode ser substituído por outro. 
controlo temperatura para aquarios

Aquecedor para Aquário

Amplificador 10W Valculas electronicas

Circuito: O Valor da Resistência R1 de aquecimento varia em função da entrada de 220V ou 110V
  • 110V: 470 a 1K2
  • 220V: 1K7 a 4K7
O circuito não se desliga automaticamente, o controle de temperatura pode ser executado por outro circuito,  controle de temperatura para aquário.

OS/2

http://www.meiobit.com/files/os2.gif

Desde o início da era PC, a Microsoft e a IBM vinham trabalhando juntas no desenvolvimento do MS-DOS e outros programas para a plataforma PC. Mas, em 1990, a IBM e a Microsoft se desentenderam e cada uma ficou com uma parte do trabalho feito, com o qual tentaram tomar a liderança do mercado de sistemas operacionais.
http://files.oldos.org/images/os2v1splash.gif

Alguns brincam que a IBM ficou com a parte que funciona e a Microsoft com o resto, mas a verdade é que apesar de o OS/2 da IBM ser tecnicamente superior ao Windows 95, foi o sistema das janelas quem levou a melhor, pois era mais fácil de usar e contava com a familiaridade dos usuários com o Windows 3.1, enquanto a IBM derrapava numa combinação de falta de investimento, falta de apoio aos desenvolvedores e falta de marketing.

Inicialmente, o OS/2 era incompatível com os softwares desenvolvidos para o Windows, o que era um grande empecilho, já que o Windows era muito mais popular entre os desenvolvedores. Depois de muita negociação, a IBM conseguiu um acordo com a Microsoft, que permitia que o OS/2 executasse o Windows 3.11 dentro de uma máquina virtual, oferecendo compatibilidade com seus programas. Entretanto, o tiro acabou saindo pela culatra, pois desestimulou ainda mais o desenvolvimento de aplicativos nativos para o OS/2, fazendo com que ele acabasse concorrendo (em desvantagem) com o Windows em seu próprio território. Rodar programas Windows dentro do OS/2 era muito mais problemático e o desempenho era inferior, fazendo com que mais e mais usuários preferissem usar o Windows diretamente.

Embora esteja oficialmente morto, o OS/2 ainda é utilizado por algumas empresas e alguns grupos de entusiastas. Em 2005 a Serenity comprou os direitos sobre o sistema, dando origem ao eComStation, um sistema comercial disponível no http://www.ecomstation.com/.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

CBHD: será a China capaz de sobrepujar o Blu-Ray?

CBHD: será a China capaz de sobrepujar o Blu-Ray?
Guerras de formatos sempre existiram e sempre tenderão a existir enquanto houver mais do que uma opção viável para determinado produto. O problema disso é que a indústria aceita somente um formato como sendo o “padrão absoluto”, evitando assim que as pessoas precisem possuir dois ou mais aparelhos, um para cada tecnologia (lembra-se da transição do da fita de vídeo para o DVD, quando muita gente possuía ambos os aparelhos?).

A guerra de formatos que mais deu o que falar nos últimos tempos foi a do Blu-Ray contra o HD-DVD: eles brigavam para descobrir qual deles seria o formato considerado como padrão para a reprodução de filmes em alta definição (os de sigla HD, ou “High Definition”).

Em fevereiro de 2008, a Toshiba declarou que pararia de desenvolver players de HD-DVD, dando, portanto, a vitória ao formato Blu-Ray. Contudo, na metade de 2007 um novo formato, chamado CBHD (China Blue High-definition Disc), havia sido anunciado. Mas, o que ninguém sabia até então, era que tal formato, cujo desenvolvimento foi bancado pelo governo da China, tinha tanto potencial.
O CBHD

A China é o país que mais produz discos de DVD no mundo, sendo responsável por 30% da produção, apesar disso, a pirataria no país é enorme. Para você ter ideia a pirataria de lá já é capaz de realizar cópias de conteúdo em alta definição, os quais são baixados e comprimidos para que tudo caiba em um DVD e, além disso, o mais impressionante é que tal técnica produz resultados com qualidade de imagem superior à do DVD comum (mesmo gravado em um!).

Novidade quente!Com isso em mente, a China pensou em uma maneira de criar uma tecnologia barata, capaz de combater a pirataria e de impedir o pagamento de royalties aos fabricantes de Blu-Ray. Então, o CBHD foi criado.

Baseado no HD-DVD, o CBHD possui a mesma capacidade de armazenamento (30 GB). Contudo, ele possui um custo de produção extremamente menor quando comparado ao HD-DVD e ao Blu-Ray (algo em torno de nove dólares). Além disso, o próprio player (produzido pela Shinco e pela TCL) do formato CBHD é mais barato, chegando a custar até 40% menos do que um player de Blu-Ray, tanto que em poucos meses desde o seu lançamento, o CBHD já é muito mais vendido do que o Blu-Ray, chegando a apresentar uma proporção de três discos CBHD vendidos para um Blu-Ray.
Mas você deve estar pensando, como que tal formato pode emplacar se o seu único concorrente possui apoio de grandes estúdios estadunidenses? Ora, isso porque essa é uma grande chance para o cinema Hollywoodiano invadir “com tudo” o mercado chinês. Um exemplo disso é que a Warner Bros. foi a primeira a apoiar o novo formato, seguida posteriormente pela Universal Studios e pela National Geographic.


Compare as diferenças
A Warner já disponibilizou 30 filmes em CBHD e pretende lançar, até o final de 2009, outros 100 títulos. Entre eles estão os títulos Harry Potter (do 1 ao 6), Diamante de Sangue, Speed Racer e A Bússola de Ouro.

Como se já não bastasse o fato de ele ser mais barato do que o Blu-Ray e de que está, cada vez mais, recebendo mais suporte de grandes nomes da indústria cinematográfica, o CBHD possui outras vantagens em relação ao seu oponente: codecs de áudio (DRA) e vídeo (AVS) mais poderosos (a capacidade inferior do disco não é por acaso), navegação de menus parecida com a dos DVDs, um tipo de modulação diferente e, principalmente, uma ferramenta extra de proteção contra cópias (DKAA). Apesar disso, ao contrário do que você poderia ter imaginado, o método de gravação é basicamente o mesmo: laser azul-violeta.

Apesar disso tudo, há ainda quem diga que a era das mídias 100% “baixáveis” não está longe de chegar, e ainda, que esse papo de discos de alta definição não vai durar muito tempo.
Mas e você? Vai arriscar comprar um player Blu-Ray ou CBHD (quando ele estiver disponível) agora, vai esperar mais um pouco ou não vai comprar nada e esperar que a indústria cinematográfica libere o download dos seus filmes? Deixe a sua opinião!



quarta-feira, 7 de outubro de 2009

DÚVIDAS?

MAS NA REALIDADE QUAL MESMO O MELHOR EQUIPAMENTO?
VEMOS CONSTANTEMENTE ESTES ESPECIALISTAS EM JOGOS DE PC QUEBRANDO AS CABEÇAS TENTANDO CORRIGIR E MUITAS VEZES FRACASSAREM.


ORA: O MELHOR SEMPRE É O NOVO?

Melhor configuração de PC para jogos




Confira a melhor configuração possível em um computador atual!

Neste artigo vamos falar um pouco sobre as melhores configurações que podem ser montadas em um computador para rodar facilmente os games mais pesados da atualidade. As dicas tratam dos componentes internos do PC, como processador, placa de vídeo, memória, fonte e disco rígido, além de peças como gabinetes, teclados e mouses.
Com a chegada do Natal muitos estão querendo ir às lojas em busca de novas peças para o computador. Se você tiver dinheiro suficiente, é possível montar um verdadeiro PC dos sonhos para jogos, mas esteja preparado para mudar vários componentes, evitando que um deles freie o desempenho total.
Observações iniciais
Há algum tempo atrás, o melhor computador que você poderia montar com a arquitetura dos processadores de quatro núcleos era associar duas placas de vídeo ATI RADEON HD4870X2, o que daria um total de quatro chips gráficos atuando simultaneamente.
Com a chegada do novo processador i7, muita coisa mudou neste quesito. Em testes realizados com diversas configurações, ele permite desempenhos jamais vistos ao acoplar três NVIDIA GEFORCE GTX280 trabalhando de forma conjunta dentro do computador, rodando games como Crysis à sessenta quadros por segundo em monitores realmente grandes.
Outra característica interessante para gamers em relação ao i7 é que ele acessa a memória do seu computador de forma direta, sem usar o front side bus para isso. Além desse detalhe, será necessário passar a  usar memórias DDR3 em triple channel para um rendimento elevado em desempenho. Deste modo, você precisará de três pentes de 1 ou 2GB atuando em rendimento máximo no seu computador.

Quer jogar tudo isso sem travar?

MONTANDO A MÁQUINA
Processador – Como dito anteriormente, é muito interessante procurar um i7 para sua máquina. Já existem três modelos com a nova arquiterura disponíveis. O melhor entre eles é o INTEL CORE i7 965 EXTREME, que opera quatro núcleos de 3.2GHz.
Preço médio: US$1000,00

Inovação tecnológica e desempenho caracterizam o i7

Placa-mãe – Para fazer com que tudo rode em pleno desempenho, é necessário ter uma placa-mãe que atenda a todos os requisitos dos outros componentes. Se você for demorar para comprar uma, espere a chegada da ASUS P6T6 WS REVOLUTION. Se não puder esperar, a melhor placa-mãe atual é a Gigabyte GA-EX58-EXTREME.
Preço médio: US$360,00

A melhor opção para a configuração indicada.

Placas de vídeo – Aqui as coisas começam a ficar um pouco mais interessantes (e caras). Com a configuração indicada acima você pode optar por até três chips gráficos associados em SLI, no caso da nvidia, que apresentou melhores resultados se comparado aos testes com as placas da ATI. A melhor opção é a GEFORCE GTX 280, em um conjunto de até três placas associadas, garantindo desempenho até então incomparável para jogos.
Preço médio: US$450,00

E aí, vai encarar?

Memórias – Devido à capacidade de triple channel do sistema que estamos montando, será necessário comprar conjuntos de três pentes de memória, somando 3, 6, ou até mesmo 12GB no total. O suporte que a placa mãe escolhida oferece permite a colocação de pentes DDR3 de 1333MHz. Sugerimos o conjunto CORSAIR DOMINATOR de 6GB.
Preço médio (6GB): US$300,00



HD – Em relação ao disco rígido, é recomendado um que tenha alta rotação, permitindo transferência de dados em boas quantias. O VELOCIRAPTOR da WESTERN DIGITAL pode ser uma ótima referência para jogos, apresentando dez mil rotações e 300GB de espaço em disco.
Preço médio: US$250,00

Um dos melhores HDs para jogos.

Fonte – Para alimentar todas as peças acima, sem dúvida será necessário uma fonte de alto rendimento. Neste aspecto, uma boa recomendação é a CORSAIR  HX1000W pode ser uma ótima opção, oferecendo 1000W e cerca de 80% de eficiência em condições reais.
Preço médio: US$250,00

É preciso alimentar todo esse sistema.

Gabinete – Para colocar todos esses componentes, não basta que seu gabinete seja apenas uma caixa de metal e plástico, certo? Ele deve ter, acima de tudo, um excelente sistema de refrigeração, impedindo que o calor, em especial gerado pelas placas de vídeo, cause algum tipo de problema durante os jogos.
Neste quesito, indicamos o ZALMAN LQ1000 como a melhor escolha, um gabinete que opera utilizando ventoinhas e refrigeração à água para manter o sistema em boas temperaturas, impedindo que problemas aconteçam enquanto você usa o PC.
Preço médio: US$700,00

Refrigeração híbrida para o seu sistema.

Sistema Operacional – O melhor sistema operacional para que você aproveite os recursos comprados, em especial no que se refere ao processador e à memória, é o Windows Vista em sua versão 64 bits, que faz uso de toda a memória disponível e otimiza os resultados no processamento.
CONCLUSÃO
As dicas acima foram pesquisadas no site E-bay, onde podemos ter uma boa noção dos preços em que se encontram algumas peças. Somando o computador dos sonhos, vamos gastar cerca de quatro mil dólares em peças, sem contar com monitores, teclado, mouse e outros componentes.
No entanto, você sem dúvida jogará os melhores games em quantidades muito elevadas de quadros por segundo. Caso queira rever todos os componentes em um único quadro, confira a tabela contendo todos eles logo abaixo:





Need for Speed Shift

Need for Speed Shift


capa
A Eletronic Arts (EA Games) há algumas semanas lançou o mais novo Need For Speed, que nada mais é do que a série de corrida mais conhecida do mundo. Nessa nova versão da franquia, a EA apostou no estilo de corrida Grid, ao qual você não correrá nas ruas, mas sim em pistas de corrida.
O fato do game ser Grid (não que ele se reduza somente a isso), somado ao fato de ele não ser de racha me deixou desanimado em joga-lo. Tive a minha primeira decepção com a série quando encostei no NFS Pro Street. Pra mim esse game nem se comparava com os outros da franquia. Mas referente ao Shift, ele tem dentro dele uma das máximas dos games: você olhando alguém jogar-lo não vai ser nem de longe hipnotizado, mas quando vai pra trás do volante as coisas começam a mudar.
De início o jogador irá passar por uma prova, cujo objetivo é dar uma volta na pista. É só para se pegar os controles mesmo. Em seguida irá correr contra alguns oponentes, para assim mostrar a sua recém habilidade gamer. Mas não se preocupe, não será nada demais. Logo correndo com o primeiro carro, é que o game realmente mostra que tem veículos com uma direção muito real, deixando aquelas pessoas que nunca jogaram games assim um pouco perdidas. Perdidas no sentido dos controles serem diferente dos outros jogos de corrida que normalmente jogo, porque o carro derrapa com mais facilidade nas curvas. Mas acredito que com uns 10 ou 15 minutos você já consiga fazer proezas, caso seja o seu caso.
Depois que você passar pela primeira corrida, será levado ao shopping car (CAR LOT), aonde devera comprar o seu primeiro carrinho de verdade. Não se empolgue porque os carros inicias não são muito bons. Como sempre você terá que começar bem de baixo. Logo em seguida será mostrada três torneios, com cada um possuindo 5 corridas. A cada corrida você ganhará dinheiro e pontos que valerão para destravar os outros campeonatos. Em todo o final de corrida é mostrado um painel com a sua precisão e a sua agressividade como corredor, e esses pontos serão somados para assim elevar seu nível piloto.
A primeira etapa do campeonato se chama RACE COALION. Nela você encontrará cinco pistas, e como você está no início, elas não vão ser difíceis. Porém, mesmo com o game no fácil, de inicio já se pode notar uma agressividade nas corridas, com seus rivais possuindo uma inteligência artificial boa.

shift 2009-10-05 12-39-03-41
shift 2009-10-05 12-44-13-91
A realidade pode ser vista a cada momento do game, e fazem parte disso a física das batidas. Quando você bate em outros carros ou no muro, o carro se danifica. Lógico que se você bater em outro carro não vai dar tanto estrago, mas vá contra o muro em alta velocidade para você ver o que acontece. Sua visão embaça, mostrando a parte do carro que bateu se amassando de uma maneira quase perfeita. Isso é um ponto ótimo do game, e escancara que a física ficou bem legal.
Como já deu pra perceber, a EA Games colocou como ponto de foco nesse game a REALIDADE, e ela é vista em todas as direções: os gráficos, a jogabilidade (como eu já disse de inicio), o som e a inteligência artificial dos rivais.
As qualidades gráficas podem ser vistos claramente, com os detalhes e as texturas que ficaram com um nível muito bom. É só reparar os cenários das pistas. Alguma vezes pode-se ver edifícios ricos em detalhes, diferentes daquelas pastas borradas que são vistas em outros jogos de corrida. Mas não são só edifícios… também aparecem em alguns mapas, brinquedos de parques como: roda gigante, kamikazes e outras coisas. Os carros e as pistas também em si não escaparam, pois o pessoal da EA trabalhou arduamente, para fazer uma criação gráfica da nova geração, e o resultado ficou de primeira. Os carros realmente ficaram muito bem feitos, e logicamente como característica antiga da EA, sempre colocando carros existentes. A iluminação e os reflexos deram um extra, e engrandecem ainda mais os gráficos de Shift.
A jogabilidade, como eu já disse de inicio, ficou um pouco estranha porque ela está BEM real. O carro ficou meio que sensível demais ao controle, mais não levei mais que 10 minutos para pegar o jeito, pelo menos no básico de direção. E até que dá pra jogar na boa com o teclado, diferente das muitas pessoas que ficam reclamando, como o próprio FiliPêra, falando que jogar em PC é ruim e blá blá blá. Tudo é balela, quem já tem uma certa prática não terá problemas, acredito eu.
Outro elemento importante além da jogabilidade e da direção, é a física. Toquei um pouco sobre esse assunto no inicio, porém não citei o fato de haver perda de controle quando se dá (ou se recebe) uma porrada em outro carro. Tenha certeza de uma coisa: se você bater em seu oponente de mau jeito e também estiver com uma velocidade um pouco alta, irá direto pra fora da pista. Se isso não acontecer e você ainda permanecer na pista, será ainda pior, porque se tiver algum oponente atrás você, levará batidas dele, com quase 100% de certeza.
A qualidade sonora do game ficou muito boa, tendo cada carro o seu próprio som logicamente. Muitas pessoas acham o som provindo de um motor de carro atrativo ou de certo ponto até legal, mas, para mim, é um barulho chato, irritante e contínuo. Só olhei mesmo pra ver se os sons eram bons e abaixei um pouco o volume, porque ao meu ver estava insuportável. Mas, mesmo me irritando, os sons mostraram-se fiéis e muito reais aos sons originais dos carros correspondentes. Não apenas os sons dos motores, mas também das lixadas de pneus que são feitas em cada curva estreita. O game merece um 10 por isso, porque isso o torna mais e mais próximo da realidade, o que pareceu ser o objetivo dele.

shift 2009-10-01 09-19-07-41
shift 2009-09-30 22-51-15-82
shift 2009-09-29 14-33-59-61
Inteligência artificial: os seus inimigos (corredores) estão mais furiosos, e quase sempre que eu ficava de lado com outro carro, o bastardo sempre tentava me jogar fora da pista, e alguma das vezes ele até conseguia. Então não vacile e fique com os olhos abertos e os dedos bem ágeis para escapar desses FDP’s.
Outro ponto chamativo nos jogos de corrida, que é claro responsável pela emoção gerada pelo game, é a sensação de velocidade. O carro realmente parece estar andando naquela velocidade, embora não tenha passado dos 280 Km/h. Mas outro ponto forte para deixar as corridas ainda mais nervosas é deixar a câmera em primeira pessoa, que se você for olhar, é um ponto extra para mais realidade do game, afinal é assim que você iria ver o mundo dentro de uma das máquinas loucas de Need for Speed. É como se você mesmo estivesse dentro do carro atrás do volante mandando brasa para superar seus inimigos (sim, inimigos).
A trilha sonora ficou mais ou menos, a maioria das pistas inicias não tem música ou pelo menos não parecem ter. Elas só ficam audíveis no final de algumas pistas, principalmente se você chegar em primeiro. A música da tela de loading ficou muito chata e a do menu principal também (fora que os loadings ficaram um pouco grandes).
Mas nas pistas de Drift (derrapagem) as benditas músicas aparecem em todas as pistas e são tocadas a todo momento em que você encontra-se dentro delas. Mas metade delas não prestam, são funk, e a parte que presta é o rock. Poxa EA Games, vocês fraquejaram nesse aspecto. O fato de ter funk dentro do game é desanimador, mas para resolver isso você poderá fazer o esquema do media player, que você já imagina qual é: abaixe a música do game e coloque as que você quer ouvir pelo MEDIA PLAYER. Simples assim!
O game também conta com suporte online (multiplayer), encontrado no MENU PRINCIPAL, onde você verá de todo o tamanho escrito ONLINE. Para poder fazer a sua primeira jogada terá que passar por uma pequena burocracia, contando com o registro da EA Games, que você obrigatoriamente terá que fazer. Mas, depois da primeira vez, tudo fica um pouco mais rápido. Nas partidas online existem dois tipos principais de jogo: o Enfrentamento (versus), que você jogará com várias pessoas, e seu objetivo é chegar na melhor posição possível; e o Duelo de Pilotos (Battle), em que você e mais um piloto se enfrentarão constantemente do início ao fim da pista.
Como eu não conseguir jogar o modo Duelo, então só comentarei sobre o enfrentamento. Na teoria modo versus online ele é igual o offline, as diferenças estão nos acontecimentos, e no fato dos seus rivais mal intencionados gostarem de bater à toda velocidade na traseira e dos lados de seu carro para fazer você perder o controle ou mesmo dar uma batida na parede e perder alguns segundos. Você não pode deixar barato, e saia detonando os malditos que encontrar na sua frente sem ter dó algum deles. As corridas online ficaram muito divertidas e emocionantes. Como muitos costumam dizer por ai: tem ADRENALINA AO EXTREMO.
E é claro, como eu também já disse no inicio, o game possui uma loja cheia de carros para serem adquiridos. São um total de 60 carros de vários modelos, classes e montadoras, como: ASTON MARTIN, AUDI, BMW, BUGATTU, CHEVROLET, DODGE, FORD, HONDA, INFINITI, KOENIGSEGG, LAMBORGHINI, LEXUS, LOTUS, MAZOA, MACLAREN, MERCEDES-BENS, MITSUBISHI MOTORS, NISSAN, PIGANI, PORSCHE, BENAULT, SCION, SEAT, SUBARU, TOYOTA E VOLKSWAGEM abrangendo o gosto de todos. Observação: Para adquirir a maioria dos carros, você terá que destravá-lo antes.

shift 2009-10-05 13-01-24-69
shift 2009-10-05 13-01-38-48
Tunando os carros
Como é costume dos Need’s desde o Underground se eu não me engano, aqui existe um cantinho para você dar uma melhorada no carro, tanto na aparência quanto no motor, fazendo assim milagres com ele, e podendo alcançar um desempenho melhor que antes. No Need For Speed Shift são duas áreas para que isso aconteça: UPGRADE e TUNING.
UPGRADE: Tem diversas opções para melhorar seu carro como DRIVETRAIN, ENGINE, TURBO, BRAKE e SUSPENSION. Essas melhoras vão do estágio 1 ao 3. BODY KIT, COCK PIT e WEIGHT: essas mechem mais um pouco com a aparência e no setor de aerodinâmico. Mudar a cor do carro para qualquer uma que você quiser, aumentar o tamanho das rodas e colocar adesivos como pintura em seu carro.
TUNING: É dividida em 4 áreas STEERING LOCK, GEARING, BALANCE E DOWNFORCE.
STEERING LOCK (Bloqueio de direção): Serve para ajustar a direção do carro, deixando mais rápida ou mais lenta.
GEARING (Transmissão): Ajusta a relação das machas para melhorar a aceleração e a velocidade.
BALANCE (Balanço): Ajustar a direção do carro entre subviragem e sobreviragem.
DownForce: Uma maior força aerodinâmica, melhora na hora de fazer curvas a grandes velocidades.
O game conta com a opção multilíngue, o mais interessante que o multilinguage dele é igual de Indigo Prophecy: você instala o game normal em qualquer língua, e toda a vez que você o executar poderá escolher a língua que fica mais fácil para você. As línguas são: Inglês, Francês, Italiano, Alemão, Espanhol, Holandês, Tcheco e Húngaro. Eu só não entendo porque não colocaram Português, mais uma decepção da EA games.
O game ficou bom e vale a pena ser jogado, mesmo você que não é chegado em corrida ou mesmo corrida de grid, mas você vai gosta desse estilo de game, acredite. É como eu falei no post: o jogo todo, na minha opinião, ficou muito bom mesmo, o mais próximo que já chegaram da realidade em games de corrida. Se você é viciado em simuladores quem sabe esse game tenha sido feito pra você. Sei de uma coisa: não passava em minha mente jogar esse novo Need, pois não fui muito com a cara dele, mas no fim das contas eu estou aqui elogiando. Só tenho uma coisa pra dizer joguem-no, porque vale muito a pena.
O que faltou no game: Boazudas acenando para dar a partida dos carros. É realmente uma pena. É eu sei eu sei agora é grid e não racha, mas poderiam passar por cima da realidade nesse quesito.

Configuration

Configuração mínima: Windows XP Sp2, Processador Intel Core 2 Duo ou AMD X2 3600+, 1GB de memória RAM (XP/ Vista 1,5gb), Placa de vídeo 128 bits Geforce 7800 / ATI Radeon X1800 e 6Gbs de HD.
Configuração jogada: Windows 7 (64 bits), Processador Athlon 64 X2 4400, 4 GBs de memória RAM, Placa de vídeo 128 bits Geforce 8600 GT (512 de Memória) e 6GBs de HD. Joguei de 20 a 25fps com a configuração do game mostrado na imagem acima.
Nota: 9

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

REDE PONTO A PONTO NO XP

Para isso você irá precisar do seguinte:

1 Cabo de Rede CrossOver.
2 Computadores, sendo o computador 1 com duas placas de rede e o computador 2 com uma apenas.

Primeiro Passo: Vamos especificar o nome do nosso computador numero 1 (o servidor, que é o computador que se conecta a internet)

Clique com o botão direito do mouse em cima de Meu Computador e depois em Propriedades.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/12.jpg

Depois vá até a guia "Nome do Computador" e especifique um nome e um grupo ao computador como na imagem abaixo.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/13.jpg
para mudar o nome do computador e o Grupo clique em alterar e especifique nos campos próprios. Lembrando que o nome do grupo terá que ser igual em ambos os computadores.

Depois repita o procedimento acima no Segundo Computador



http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/14.jpg

Agora vamos configurar os IPs das maquinas, no Computador 1 (o Servidor), entre em Painel de controle > Conexões de rede, clique com o botão direito do mouse no icone da placa que representa a placa que está ligando os computadores e depois em propriedades.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/2.jpg

Cique sobre Protocolo TCP/IP e depois em Propriedades


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/3.jpg

Marque a Opção "Usar o Seguinte endereço de IP" e especifique os valores da imagem abaixo.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/4.jpg

Clique no botão Avançado na parte de baixo dessa janela e na guia WINS marque a opção "Ativar NetBios sobre TCP/IP" e de OK



http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/5.jpg

Agora vamos ao Segundo computador o Cliente, entre em Painel de controle > Conexões de rede, clique com o botão direito do mouse no ícone da placa de rede e depois em propriedades.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/2.jpg

Cique sobre Protocolo TCP/IP e depois em Propriedades


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/3.jpg

Marque a Opção "Usar o Seguinte endereço de IP" e especifique os valores da imagem abaixo.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/8jpg

(OBS. MUITO IMPORTANTE) O Valor Servidor DNS preferencial e Servidor DNS alternativo irá varia dependendo de sua conexão para saber qual o seu faça o seguinte

Abra o prompt de comando e digite ipconfig/all e de OK


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/7.jpg
esse será os valores utilizados

Clique no botão Avançado na parte de baixo dessa janela e na guia WINS marque a opção "Ativar NetBios sobre TCP/IP" e de OK


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/5.jpg

Pronto está tudo configurado agora vamos compatilhar a conexão.

Clique com o botão direito do mouse em cima da sua Conexão e depois em propriedades.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/9.jpg

Agora marque a opção "Permitir que outros usuários da rede se conectem pela conexão deste computador a internet" e selecione a placa de rede referente a conexão entre os dois PC.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/10.jpg

Clique em Opções e marque todas os campos como na imagem abaixo, clique em OK e OK novamente


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/11.jpg

Agora vamos compatilhar os arquivos dos nossos PC para que um possa acessar o outro, clique com o botão direito do mouse sobre uma pasta ou HD e depois em "Compartilhamento e segurança"


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/16.jpg

Marque as opções abaixo "Compatilhar esta pasta na rede" e "Permitir que usuários da rede alterem meus arquivos" (caso deseje esta) especifique um nome como será mostrado na rede e de OK.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/17.jpg

Pronto se tudo deu Certo seus aquivos deverão estar compartilhado em ambos os PC na opção "Meus locais de rede" que fica no Desktop da seguinte forma.


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/18.jpg

E no PC 2 em "Painel de controle> Conexões de rede" deverá aparecer o ícone da conexão que você utiliza no PC 1


http://www.tutoriaisonline.kit.net/rede/15.jpg

YOU TUBE

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget

Quase super busca

VIDEOS

manutenção em lap top CONSERTO DA CALCULADORA

O BLOG CRIADO PARA VC QUE GOSTA DE TECNOLOGIA

NOSSO PROPÓSITO É INTEIRAMENTE DIDÁTICO.

VALEU!!!